O processo Poka-Yoke
O processo Poka-Yoke

Como Poka Yoke funciona

Os possíveis pontos fracos são eliminados já no desenvolvimento da linha de fabricação. Apesar disso, dificuldades imprevistas frequentemente ocorrem durante a operação. Estas precisam ser identificadas, um método de detecção deve ser implementado e deve ser desenvolvido um processo para o seu controle.

A observância dos elevados padrões de qualidade é o pré-requisito para uma fabricação ideal. Por meio de uma gestão dirigida das falhas com Poka Yoke da Balluff isso pode ser garantido já durante o processo.

A produção transparente permite rastrear cada uma das etapas. Os pontos fracos típicos podem ser precocemente identificados, o que permite adotar as contramedidas necessárias. Isso aumenta a segurança da produção, permite ações rápidas de correção e ajustes imediatos em caso de alteração nos requisitos.

A transparência e flexibilidade necessárias são garantidas pelos sensores da Balluff

Etapas um e dois: identificar e detectar

  • Identificar os pontos problemáticos

    Garantir os padrões de qualidade através de verificações Poka-Yoke

    Pontos fracos típicos

    As origens típicas das falhas são peças ausentes ou incorretas, uma avaliação insuficiente das cores, uma sequência de montagem deficiente ou também entradas de dados ou configurações de máquina executadas manualmente.

    Outros pontos problemáticos

    Os passos de rosca são frequentemente um problema na fabricação. Passos de rosca ausentes ou incompletos podem ocorrer em parafusos, pinos e furos roscados.

    Outra grande dificuldade é encontrar o parafuso adequado para um torque específico e a sequência de aperto. A regulagem elétrica do torque é um passo na direção certa, mas não é capaz de evitar os problemas. O posicionamento das ferramentas de aplicação de torque provou ser bem-sucedido.

    Os erros também podem ocorrer em todos os locais em que se realiza a marcação ou inscrição manualmente. Estes erros podem ser evitados por meio de um sistema simples de Traceability.

    A solução

    Na supressão de falhas, se aplica: Cada etapa de fabricação executada manualmente pode dar origem a um erro. Isso inclui todos os processos de montagem e as configurações da máquina. Nestas áreas, uma avaliação deve garantir que os padrões de qualidade apropriados, tais como aqueles do Total Quality Management (TQM), estejam atendidos. De modo geral, pelo menos duas verificações Poka-Yoke devem ser executadas para cada procedimento de montagem.

    As características específicas

    • garantir os padrões de qualidade apropriados através de verificações Poka-Yoke
    • sistema simples de Traceability para evitar erros típicos
    Verificação ótica e ajuste da inclinação dos bancos do veículo

    Nesta aplicação, a inclinação dos bancos do veículo é ajustada e verificada de modo ótico.

  • Implementar a detecção das falhas

    Verificação das etapas do processo por meio de sensores e sistemas Vision para a supressão das falhas

    Os sensores e sistemas Vision da Balluff verificam se todas as etapas do processo foram executadas corretamente. Esta é a base para que seja possível evitar falhas.

    Supressão passiva e ativa de falhas

    Há dois métodos para evitar falhas na fabricação: a supressão passiva e a supressão ativa de falhas.

    Na supressão passiva de falhas, uma codificação mecânica garante que um processo não possa ser executado incorretamente. Isso é comprovadamente eficaz e econômico.

    Na supressão ativa de falhas, os sensores e os sistemas Vision verificam se uma etapa de processo foi realizada corretamente. Isso é mais flexível e é capaz de fornecer uma quantidade maior de dados do que um dispositivo passivo. Além disso, os métodos para o rastreamento podem ser integrados facilmente. Para a implementação de uma supressão ativa de falhas, é utilizado um sensor discreto ou analógico, um sensor de cor ou um sistema baseado em Vision.

    Implementar os sensores

    Os sensores possuem saídas padronizadas, que podem ser discretas (sim/não) ou analógicas (medição). A variante a ser utilizada depende a respectiva tarefa a ser executada.
    Cada uma das saídas pode ser processada conforme o desejado. Assim, por exemplo, é possível ativar luzes de controle simples, instrumentos de medição, ou até mesmo funções de extração, para a rejeição ou retrabalho.

    Implementar os sistemas Vision

    Os sistemas baseados em Vision são utilizados onde os sensores convencionais atingem os seus limites. É necessário diferenciar entre os sistemas Vision e os sensores Vision.

    Os sensores Vision, tais como o sensor Vision BVS da Balluff, são excepcionalmente adequados para evitar falhas. Eles são simples, econômicos e flexíveis.

    Os sistemas Vision propiciam vantagens em procedimentos complexos, tais como o comando de robôs e análise, captação e armazenamento de imagens.

    Implementar a detecção das falhas

    Comparação entre a supressão passiva e a supressão ativa de falhas